quinta-feira, 17 de julho de 2008

Quer aparecer? Pendura um fio dental no pescoço!

Quando eu vi essa ação pela primeira vez (aqui) fiquei confuso e esbravejei: "grande merda!". Mas talvez essa minha reação tenha sido causado pelo texto do post onde vi a ação, confuso e com informações pela metade. Vejam:



"Simplesmente a agência Saatchi & Saatchi, para divulgar o fio dental Glide, colocou um porco inflável gigante numa das ruas de NY. Não tinha quem não olhasse para ele".

Eu não sei se perdi alguma aula de interpretação de texto ou coisa assim, mas o post me induziu a achar que essa era apenas mais uma ação de visibilidade sem pé nem cabeça (e nem conceito). Afinal, quem não olharia para um porco gigante no meio da rua com um fio dental pendurado no pescoço? É exatamente o mesmo princípio da melancia na cabeça...

Mas passada essa revolta inicial, olhei a imagem de uma forma diferente e descobri que na verdade essa é uma ação do caralho. O porco não está no meio da rua, mas sim em uma fresta entre dois prédios. Sim! É a representação de um pedaço de carne de porco preso entre os dentes, e a solução para esse tipo de problema estava ali, pendurada no pescoço do suíno.

Achei genial! E dá para pensar em inúmeros desdobramentos, como uma vaca entre as árvores de uma praça ou uma alface presa no meio de duas casas.
O único problema é que as pessoas podem sofrer do mesmo mal que sofri: ver um porco com um fio dental pendurado no pescoço e indagar: "que merda é essa?".

De qualquer forma, é uma idéia criativamente muito boa. Resta saber se ela conseguiu transmitir a mensagem para a maioria dos transeuntes de forma clara. O que vocês acham? Conseguiu? Será que um porco é realmente a melhor referência para falar de objetos presos entre os dentes?

5 comentários:

Flávio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Flávio disse...

Provavelmente, só se a pessoa estivesse do mesmo lado da rua do fotógrafo e ainda assim, teria que ter a metade do cérebro desenvolvida como naquela brincadeira das silhuetas ("você vê um vaso ou o perfil de um rosto?").
Criativamente, foi muito boa mesmo.
Será que essa ação teve continuidade com outras coisas, tipo uma manga, uma couve ou similares?
Abs

Marinho disse...

Isoladamente, só um porco (ou porcos) entalado entre edifícios poderá mesmo exigir legenda, mas no contexto de uma campanha na qual a metáfora tenha sido desenvolvida, acho bem interessante. A comunicação "metonímica" do todo representando a parte é bem humorada; o incômodo de resíduos de alimentos nos dentes dá mesmo a sensação de exagero que essa proposta bem humorada exercita.

Virgínia Gouvêa disse...

Quando olhei só a imagem, pensei :"Porco, fio dental. Ah, conceito de pessoa que não escova os dentes e é porquinha? isso?". Depois que li o post todo, fez mais sentido, mas isso porque trabalho com comunicação. Vale o questionamento se os passantes não achariam só "mais uma merda na rua."

Zeca Bral disse...

A ideia eh boa, mas nao eh bem aplicada. Ou deveria ser mais explicito visualmente, com uma carne em formato de carne e nao de porco em si, ou um texto - como ja foi dito aqui nos coments - desenvolvido por um redator com bom senso de humor.

Isso soa abstrato e está mais para galeria de arte.

Avante!