quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Curto e grosso



Mais grosso do que curto. Ontem tivemos o Globes Awards, premiação supostamente mais importante do mercado promocional brasileiro.
Não inscrevi nenhuma peça e nem fui à festa.

Na manhã de hoje, ao ver lista dos vencedores, me deparei com o resultado estúpido da categoria MELHOR IDÉIA OU CONCEITO INOVADOR.

1º Lugar
Título da campanha: Promoção Vidão Melitta
Cliente: Melitta do Brasil
Agência: Future Group


2º Lugar
Título da campanha: Nem tudo fica bem em qualquer lugar
Cliente: Bratemp
Agência: Mood

3º Lugar
Título da campanha: Promoção iPod no Palito
Cliente: Unilever / Kibon
Agência: Bullet

Veja a definição da categoria, tirado do site da AMPRO

:: MELHOR IDÉIA OU CONCEITO INOVADOR
Campanhas de marketing promocional que utilizaram formas e idéias inovadoras em relação a canais de comunicação, mecânica, tipos de incentivo etc.

Fui atrás das campanhas para ver qual idéia brasileira poderia ser mais inovadora que uma campanha que levou 2 Leões de Bronze em Cannes.


Da campanha da Brastemp, não encontrei nada, por isso não vou comentar.
Se alguém tiver algo, me envie por favor.

A campeã, Vidão Melitta, usava a já tradicional mecânica de códigos na embalagem que devem ser enviados por sms e dava como prêmios: uma casa, um carro e 3 anos de 4 mil por mês.

Voltando à definição da categoria, pergunto:
Onde estão as formas e idéias inovadoras?
Cadê a mecânica inovadora?

Concluo então que a campanha da Melitta ganhou no quesito “etc”.

Prêmios nem sempre são justos, nem sempre são como queríamos, mas me assusta o fato de uma campanha sem nenhuma inovação e sem nenhum conceito inovador ser declarada vencedora nesta categoria.

Me preocupa muito o critério utilizado pelos jurados.
Se eram clientes, fica explicado por que temos dificuldades em aprovar boas idéias.
Se eram meus pares, entendo a insatisfação constante dos clientes, o troca-troca de agências e as concorrências com 10 empresas para fazer uma faixa de gôndola.

Só eu achei isso estranho? Comentários por favor.

19 comentários:

Matheus Flandoli disse...

Prêmio é um negócio muito complicado. Vimos no blog do Neto (http://cannes08.wordpress.com) o quão complicado é julgar e ser imparcial no processo.

Ainda acho que o exposição de Ipod no Palito durante tanto tempo pode fazer com que ele tenha perdido posições frente a promoções que ainda não tinham sido vistas e muito menos julgadas em prêmios.

Mas concordo com você, ainda acho que Ipod no Palito devia levar o 1º lugar e está muito a frente dos outros concorrentes.

Vai entender...

Marinho disse...

Não tinha visto o resutado do Globes Award, mas concordo com em ponto e vírgula com a colocação do post. Premiações deveriam ser vistas como um momento de jogar luz sobre o papel da inovação, da criação em nosso meio e não como coroação da mesmice em prol da imagem de uma ou outra empresa.

Sabrina Machado disse...

Acredito que o critério utilizado foi:
1. Ai que inveja!
2. Eles não vão levar essa tb!
3. Cannes é porcaria, o Globes é mais legal e essa eles não ganham!

ahhh... ainda tem o critério de análise bem profissional:

4. Ai, não gosto desse Neto!

hahaha

Só isso explica!

digitralha disse...

O que presenciei ontém foi um bocado de desorganização e amadorismo. Não adianta ter um lugar bacaninha, promotoras gostosas, canapés sofisticados (que nem ouso degustar) e o conteúdo, a essência do mercado promocinal ainda ser embrionária.

Parece que introduziram o conceito de marketing promocional semana passada e ninguém tem experiência suficiente para julgar ou avaliar qualquer tipo de mecânica.

O negócio é continuar dando murro em ponta de faca pra ver se ela entorta de uma vez.

Alguém tem luvas de malha de aço?

[adams] disse...

quem foram os jurados?

Panhoca; Bruno disse...

Adams,

também quero saber quem foram os jurados e os critérios usados.
Mistério.

Tati Palladino disse...

Acredito que a resposta às perguntas de vcs é o mal que assola o país, galera: POLÍTICA. Acessem: http://naocontepramamae.wordpress.com/2008/09/09/149/, blog do Neto. Confiram as críticas - totalmente coerentes - que ele fez à palestra que a AMPRO fez em Cannes este ano. Isso me soa retaliação. Se não for isso, é burrice pura mesmo!

Tati Palladino disse...

O grande mal é uma associação que deveria alavancar o mkt promocional brasileiro como instituição ter este tipo de atitude. Acho que prefiro acreditar que os caras são bobinhos. Que nunca tinham visto uma promoção com código nas embalagens - NOOOOOSSA, que inovação! Ou vai ver que eles não curtem a apple. I'm a PC! Mais do que necessário seu post, Panhoca.

Nivaldo disse...

Foi estratégia, boca-de-urna.

O Melitta molhou a mão da copeira do evento, e no momento em que os jurados estavam votando, ela passou servindo café. Eles, enebriados pelo aroma e sabor, fizeram sua escolha. Votaram com o coração.

...


Ou compraram o evento mesmo...

Promo Planners disse...

Chefa,
adorei sua participação. Se for só invejinha e retaliação fico mais tranquilo pois é só um pensamento mesquinho. O problema é se os motivos forem outro$.

Bruno Scartozzoni disse...

Putz, vou jogar o bronze que eu já ganhei nessa categoria no lixo. :(

Felipe disse...

Galera, um pouco mais de maturidade.
Toda premiação é polemica. Agora vamos la:

1) O Ipod no Palito é genial? Claro que é uma grande sacana (na minha opinião).
2) Mecanica inovadora? Tanvez não. Alguns podem ver como um simplesa achou-ganhou.
3) Gerou vendas? Não sei dizer, mas com certeza gerou muito boca a boca, o que é bacana para a marca.
4) Merecia ganhar? Para alguns sim, para outros não, como o resultado mostrou.

Utilizar palavras como "Resultado Estupido", se não for desreipeitoso é no mínimo imaturo.

Vidão Melitta, pode parecer para alguns Casa, Carro e grana. Para outros é a tradução de um Insight (que nos leva a bons conceitos) o qual me pareceu exitoso sim.

Existe uma diferença grande entre achar que o Ipod no Palito é melhor e achar que Melitta é desprovido de qualquer conceito. Isso me parece uma opinião muito mais passional do que técnica como planejadores (que imagino devem ser).

Mas claro que essa é apenas minha opinião, e opinião cada um tem a sua. O importante é que sejam embasadas em argumentos solidos e construtivos, ao inves de adjetivos vazios e imaturos.

Panhoca; Bruno disse...

Felipe,

Acho que depois de alguns meses de blog, estamos travando o primeiro bom debate neste espaço. Para começar, vale dizer que não sou um planner 100%. Sou redator, um cara da criação, por isso muito ligado em prêmios e festivais.
Faço planejamentos pela contingência do mercado que nos obriga a acumular funções.

Muito bom o seu ponto de vista, ponderado, ético, mas infelizmente defendendo o indefensável.
Veja que em nenhum momento eu critiquei a Promoção Vidão Melitta. A campanha tem seus méritos, dizem até que teve participações acima do esperado.
Apenas me revoltei com o fato de uma campanha sem nenhuma, repito, nenhuma inovação ganhar a categoria inovação.
Ela poderia ter sido 1º lugar em outras categorias, mas não em inovação.
Código por SMS nas embalagens já está pra lá de usado. Nenhuma inovação. Sorteio é pra lá de manjado. Casa + Carro + Mesada é o beabá da premiação, é feijão com arroz, é o tiro para não errar. Pode até ser “a tradução de um Insight (que nos leva a bons conceitos) o qual me pareceu exitoso sim” como você disse, mas tem ZERO de inovação.


Nenhum dos critérios existentes na descrição da categoria está presente nesta campanha, principalmente a inovação

Respondendo às suas perguntas
1) iPod no palito é mais que genial, é corajoso e inovador. Como pede a regra.
É uma grande saída para a legislação promocional amarrada e cheia de proibições.

2) Congelar o maior objeto de desejo dos jovens sem que possa ser identificado, está longe de ser um achou ganhou. É uma idéia genial com um trabalho de produção insano. Em 99% das agências a produção diria que é impossível e a idéia morreria.

3) Gerou muita venda. 30% de aumento numa época em que já se tem recordes históricos, no período de sazonalidade mais favorável. Mexeu com o consumidor no PDV, influiu na decisão de compra.

4) Merecia muito ganhar pois atende aos critérios descritos pela organização do festival, ao contrário da vencedora.

Talvez, não premiar iPod no palito tenha sido uma estratégia do “júri” para gerar alguma divulgação de um festival esquecido e apagado. E eu mordi a isca.

Meus argumentos continuam sólidos , embasados e só não vê quem não quer.
Releia meu texto com atenção e veja que também escrevi que resultados de premiação nem sempre são justos, veja que me limitei aos critérios de julgamento.
Meus adjetivos não foram vazios, aliás foram fracos para expressar minha indignação. Em Cannes, iPod no Palito também ficou em 3º (bronze), mas perdeu para campanhas muito maiores, com conceitos incríveis e que mesmo assim geraram polêmica.

Desrespeitoso, é um júri que não RESPEITA seus próprios critérios.
Imaturo é alguém que usa uma premiação de forma mesquinha para atingir outros interesses e não para premiar os melhores.

Continuo achando o resultado ESTÚPIDO e continuo achando a promoção de Mellita bem básica, como muitas que todos nós já fizemos.

Não vamos defender a mediocridade. Ela existe e até deve ser respeitada. Mas nunca premiada.

Espaço aberto para você continuar com o debate.

Felipe disse...

Bruno,

Primeiro cabe colocar que meu texto não buscou defender um ou outro conceito, mas sim a questão de que opiniões divergentes das nossas (minha, sua ou de qualquer outra pessoa) não deveriam ser rotuladas de certas ou erradas. São simplesmente opiniões.

Não tenho nada a ver com a AMPRO, GLOBES, CANNES ou qualquer outro tipo de animal, porém acredito que o resultado foi a avaliação isenta de um júri formado por mais de 40 profissionais do mercado. Se atendeu a nossas expectativas, julgamentos ou valores, apenas nos cabe lamentar ou comemorar.

Acho a promoção do Ipod muito boa sim. Acho uma idéia desafiadora e corajosa sim. Porem acho também que se trata de um novo formato de achou-ganhou. O que não é qualquer demérito, muito pelo contrario. Conseguiu dar nova vida a uma mecânica pra La de manjada. Porem ficamos por ai também. O fato de ter ganho Cannes, honestamente, não a faz dona de toda a verdade. Não por demérito da premiação (muito pelo contrario, deveríamos ter muito orgulho de termos um Promo Lion para o Brasil) mas sim pelo fato de que os critérios de Cannes para o Promo Lions são muito mais publicitários do que promocionais.

Não acredito que tal premiação seja qualquer forma de demérito para o Globes, muito pelo contrario, vejo uma total isenção por parte dos jurados. Se fossemos pelo que se escutava no mercado o premio seria do Ipod. Tal isenção faz com que a autonomia do júri seja confirmada. Dizer que foi jabá, é pura besteira de mercado.

Com relação a sorteio via SMS ser algo manjado, acho que devemos ir com calma. Obviamente que isso não é mais uma inovação, porem não se trata ainda de carne de pescoço. Poucas agencias tem demonstrado talento para operacionalizar isso corretamente. Prova disso é a existência de poucos casos.

Não acho que houve qualquer desrespeito a critérios por parte do júri, afinal são profissionais experientes. Continuo acreditando que assim como Ipod reformatou o bom e velho achou-ganhou, Melitta reformatou o bom e velho Casa, Carro e Grana. Qualquer coisa alem disso é nossa avaliação individual.

Devemos sim, sempre ter respeito com o trabalho dos outros quando expressamos nossas opiniões, assim como devemos esperar o mesmo em troca.
Acho arriscado rotularmos de desrespeitosa toda opinião divergente da nossa, e estúpida qualquer decisão contraria a nossos desejos.

Não vejo nada de estúpido ou desrespeitoso no fato de alguém (ou “alguens”) discordar de minha opinião.

Abs,

Panhoca; Bruno disse...

Felipe,

eles não desrespeitaram a minha ou a sua opinião. Eles desrespeitaram o próprio regulamento.

Abraço

Felipe disse...

Ok, como voce preferir Bruno.

Boa sorte

Carlos disse...

A Titulo de curiosidade:

A promoção da Qualy é uma cópia descarada da Vidao Melitta ou é uma impressão só minha????

Não aliviaram nem no nome (Vida Vs Vidão) e na inclusão de uma viagem pra Disney.....

Panhoca; Bruno disse...

Carlos,

não é cópia nem plágio. É uma das poucas opções que restam ao mercado promocional.
Com leis amarradas, clientes inseguros e pesquisas dom mais variados métodos dizendo que o consumidor gosta de casam carro e dinheiro, fica difícil fugir do beabá.
E se eu fosse a agência que fez, já inscrevia para o Globes de 2009. Ouro em inovação na certa.

Aldo disse...

Nem tem o que falar, né!
Post perfeito !! rsrsrsrsrs